4G: A Vergonha Nacional – Parte II

Mudamos de endereço!! para ler as novas postagens acesse: www.cafedoprogramador.com

taxas-produtos-4g

No Brasil temos um cenário preocupante no que se refere a 4G. A tecnologia é cara, é incompatível com a maioria dos aparelhos e vai estar disponível em poucas cidades durante um bom tempo antes de se espalhar pelo país quem sabe daqui uns 10 anos.

O primeiro grande problema é a faixa de frequência que será utilizada pela 4G.

A 4G começa a operar no Brasil utilizando a tecnologia LTE (Long-Term Evolution) que é homologada pela UTI-R e possui dois aspectos fundamentais. O primeiro é que ela deixa de lado o padrão de transmissão usado na tecnologia GSM e passa a trabalhar com uma arquitetura de rede totalmente baseada em IP. Isso significa que a LTE vai tratar tudo a ser transmitido como dados, até mesmo voz . O segundo aspecto, é que a LTE utiliza a tecnologia MIMO, ou seja, múltiplas antenas tanto no lado transmissor quanto no receptor, o que melhora a performance da comunicação. Essas duas característica podem ser usadas para diminuir interferências na comunicação e para aumentar a taxa de transmissão de dados. A grande vantagem da LTE é que ela torna mais simples o upgrade de infraestrutura da 3G.

A tecnologia LTE permite que sejam usadas as frequências de 700Mhz para a 4G. No entanto, muito se discute devido ao fato de o Brasil estar disponibilizando apenas a faixa de 2.5Ghz. Mas qual a diferença?

É simples, a frequência de 700Mhz é utilizada para transmissão analógica de canais de TV, logo não pode ser usada para a transmissão de dados da 4G.

Agora vamos parar para pensar no sinal da TV analógica que existe hoje. Qualquer “buraco” que a gente possa imaginar que tenha uma TV e uma antena pequena daquelas de camelô, pelo menos a rede Globo vai pegar. O que eu quero dizer é que a faixa de 700Mhz permite que os sinais penetrem mais facilmente em prédios e casas, além do fato de o sinal ter um alcance muito amplo. Enquanto que a faixa de 2.5Ghz não. Isso significa que o sinal 4G no Brasil não vai ser estável e não vai ser fácil de usar.

Em 2016 termina o prazo para as emissoras de TV liberarem a faixa de 700MHz. Mas se você pensa que então em 2016, estará tudo resolvido, e que seu sinal vai ser melhor por que vamos mudar de faixa. Você se engana.

Erasmo Rojas, diretor da consultoria 4G Americas em entrevista à revista Veja fez a seguinte afirmação:

[…]A faixa de 2.5Ghz será mais utilizada em grandes cidades, e a de 700MHz será provavelmente utilizada em áreas rurais devido à suas características[…]

Eu vejo enormes problemas nisso. Primeira coisa a se pensar é que utilizando a faixa de frequência de 2.5GHz o alcance e força do sinal é bem menor se comparado à faixa de 700MHz. Com isso, segundo especialistas, é necessário 3 vezes mais antenas utilizando a faixa de 2.5GHz para ter a mesma cobertura de uma antena que opera na faixa de 700Mhz.
Para grandes cidades como São Paulo que já são completamente entupidas de antenas, isso é praticamente um ataque terrorista. Além disso, grandes cidades são selvas de pedra, vários prédios um colado no outro, e como disse anteriormente, o sinal em 2.5GHz não tem a força necessária para superar tantas barreiras e chegar até seu aparelho, pelo menos não com a mesma eficiência de sinais em 700MHz.

A 4G está sendo implantada com tanta pressa por causa da Copa? Ando sinceramente duvidando disso. Os estrangeiros que estiverem no país não conseguirão usar a suposta 4G justamente porque a faixa de 2.5GHz não é compatível com a maioria dos aparelhos disponíveis no mercado. A maioria dos países que têm 4G estão usando a frequência de 700MHz.

Eu citei apenas os problemas mais gritantes da vinda da 4G para o Brasil nesse plano desesperado e prazos de implantação irreais. Existem muitos outros, como por exemplo a mídia que só divulga as vantagens mentirosas pelo menos por enquanto mentirosas favorecendo as operadoras que já começam a cobrar muito caro por aparelhos e planos 4G que não vão entregar metade do que prometem.

Basta começar a ler artigos pela Internet para ver os vários motivos que levarão a 4G no Brasil ter um início catastrófico. É lamentável.

Não leu a parte I? clique aqui!

Dúvidas? Sugestões ou Correções? Deixe seu recado! 😀

Anúncios

10 Respostas para “4G: A Vergonha Nacional – Parte II

  1. Tô achando que o autor é um applemaníaco descontente pq seu Iphone5 e/ou Ipad4 não funcionam na rede 4G do Brasil.

    Não bote a culpa na rede 4G do Brasil, que por sinal usa a mesma frequencia do 4G europeu, coreano e japonês. Bote a culpa na Apple, que vende aqui no Brasil aparelhos caros que não funcionam no nosso 4G (2,5GHz) mas apenas no 4G dos EUA (700MHz).

    Pq os smartphones 4G da Samsung, LG, Motorola, Sony e Nokia vendidos no Brasil funcionam em ambas frequencias 4G (700Mhz e 2,5GHz), e os smartphone da Apple só funcionam na frequencia de 700MHz?

    É bem simples resolver isso: Troque seu Iphone por um Android e liberte-se da escravidão que a Apple te impõe!

    A escolha é sua!

    Porém, algumas informações do seu texto não estão totalmente corretas, e pode gerar falso entendimento dos leitores.

    A frequência de 700Mhz (UHF) é utilizada pra transmissão de TV, tanto faz se analógica ou digital, dos canais 53 a 68. A TV analógica funciona em VHF (canais 2 a 13) e UHF (canais 14 a 83). Já a TV digital só funciona em UHF.

    Quem tem tv digital sabe que não é qualquer buraco que consegue pegar. É mais fácil com a TV analógica em VHF.

    Em 30/04/13, faz apenas 5 dias, a Claro, Vivo e Tim já lançaram a rede 4G e divulgaram os pacotes. Então como o autor pode duvidar que a rede 4G vai ser implantada para a Copa?

    Se o estrangeiro vier ao Brasil com qualquer smartphone 4G apto a operar na frequencia de 2,5GHz, não terá nenhum problema em usá-lo aqui.

    A maioria dos países que têm 4G NÃO estão usando a frequência de 700MHz. Apenas os EUA usam essa frequência. Os demais países usam várias frequências para o 4G – 800MHz, 1,8GHz, 2,1GHZ e 2,5GHz, porém o Iphone5 só trabalha na frequência de 700MHz. Já os androids e windows 4G operam em todas as freqüência.

    Ou seja, com um android 4G vc usa em todo o planeta. Com Iphone5 vc usa apenas onde tiver rede 4G de 700MHz, ou seja só nos EUA, que é o único país que usa a frequência de 700MHz para o 4G.

    • Olá, obrigada por comentar.
      Vamos lá, eu não tenho Iphone porque é muito caro assim como todos os aplicativos e acessórios compatíveis. Mas não tenho nada contra quem tem. Eu tenho um velhinho LG P500 com android e também não possuo um iPad. Mas eu não citei Apple ou IPhone no artigo… xD

      De fato o Brasil usa o mesmo padrão europeu, coreano e japonês. Aliás, Colômbia e Chile também usam.

      Na verdade você acabou não entendendo o que eu quis dizer sobre a força do sinal. É fato que o sinal em 700Mhz é mais forte que em 2.5Ghz e tem uma alcance maior. Além disso não é somente os EUA que utiliza a faixa de 700MHz para a 4G.

      A ênfase na na TV analógica é devido ao fato de que o Governo pretende liberar os canais de TV analógica que fazem parte do espectro de 700MHz para que eles comportem a 4G, não interferindo na TV Digital que ocupa outros canais. Apesar de que há quem duvide que o sinal digital não será prejudicado pela 4G.
      E falando em TV analógica, especificamente, o sinal pega em vários lugares muito improváveis sim, pequenas TVs de bolso provam isso.. xD

      E sim! as operadoras já estão vendendo pacotes 4G. Mas isso não significa que os aparelhos já estejam operando em 4G, você pode ler mais sobre isso aqui: http://goo.gl/GzeeK

      Eu não duvido que a 4G será implantada. Ela está sendo implantada! com muita pressa aliás. O que eu duvido é que o serviço será tão bom quanto deveria ser.

      Quando a compatibilidade de aparelhos estrangeiros, no dia 11 de abril o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel, João Rezende informou que os estrangeiros que vierem até o Brasil para assistirem os jogos da Copa do Mundo de 2014 e quiserem fazer uso da internet 4G deverão comprar chips que funcionem com a tecnologia local. Isso não é muito legal. Você pode ler mais aqui: http://goo.gl/pBwWS

      A 4G do Brasil não é compatível com 41 países dos 69 que já implantaram a tecnologia, não só com os EUA. Ou seja, um android 4G não vai funcionar nesses 41 países que inclui EUA, Argentina e Uruguai.

      • Oi Ingrid,

        Agradeço a atenção em responder-me.

        Quanto aos aparelhos, esclareço que para operar na rede 4G obrigatoriamente o smartphone tem que estar apto à essa rede. Sendo assim, um smartphone 3G não opera na rede 4G.

        Por enquanto os aparelhos 4G homologados pela Anatel são: Galaxy S3 e S4 da Samsung, Razr HD da Motorola, Lumia 820 e 920 da Nokia, Optimus G e F5 da LG, Z10 da Blackberry e Xperia ZQ da Sony.

        A informação do Presidente da Anatel para comprar o chip brasileiro não tem absolutamente nenhuma relação com a frequência da rede 4G, pois a frequência é do aparelho e não do chip. A orientação dele pra usar um chip brasileiro é tão simplesmente para evitar que o turista estrangeiro pague as caras taxas de roaming internacional caso use aqui no Brasil o chip de seu país de origem. Ele orientou da mesma forma que um brasileiro faz quando viaja ao exterior e opta por adquirir um chip de uma operadora do país onde se encontra.

        E lembre-se que todo celular 4G também opera na rede 3G. Então se um estrangeiro vier ao Brasil com um celular 4G que não opere na frequência 4G do Brasil, ele não ficará incomunicável, e poderá usá-lo na rede 3G.

        As redes 4G usam frequências diferentes em vários países. O Brasil adotou a frequência de 2,5 GHz. A Argentina vai usar a de 2,1GHz e o Uruguai a de 1,7GHz. Mas isso não impede que um brasileiro use o seu celular 4G nesses países. Basta que ele tenha um celular 4G multifrequência que estará apto a operar nesses países. E os atuais smartphones cumprem essa função.

    • Migão não precisa abandonar a apple o que significa gastar mais grana, compra um roteador 4g que tal? ^^

  2. Só acrescentando, eu lí (não consegui encontrar a fonte novamente) que o uso da 3G pelos estrangeiros que não conseguirem usar a 4G é preocupante do ponto de vista que pode congestionar a rede 3G. Não me lembro os detalhes agora. Mas vou procurar a fonte em que lí isso para mais detalhes. Se você souber algo sobre isso compartilhe por favor.. =D
    Quanto à impossibilidade do uso de aparelhos daqui nos países citados, eu não sei se os aparelhos que estão homologados no Brasil são multifrequência no sentido de poder funcionar também em 2.1 e 1.7MHz.
    Mas muito legal seus comentários e os pontos que você ressaltou. Assim que tiver um tempinho vou pesquisar mais sobre isso e dar um update no post. xD

    • Não tenha nenhuma dúvida que a rede 3G vai congestionar, pois a rede 4G ainda não está consolidada nos países que mais emitem turistas pro Brasil, p.ex.: Espanha, França e Itália.

      Então os turistas dos países que ainda não tem 4G ou começaram a usar recentemente, virão ao Brasil com aparelhos 3G. Pouco mais de 1% dos celulares mundiais são 4G, enquanto 3G são 19%, e 2G são 77%.

      Muitos dos aparelhos 4G homologados aqui são multifrequencia.

  3. Senhores o que me preocupa é fato das operadoras não estarem usando voz sobre IP como determina a UTIL-R. Desvinculando a voz com os dados eles poderão cobrar preços mais levados pelo pacotes de dados. Nesta hora, pergunto, onde está a ANATEL?

  4. Muito incoerente esse texto… a maioria dos países utilizam a mesma frequência do Brasil, a famosa banda 7 do LTE (2,6GHz que o governo brasileiro chama de 2,5GHz) é utilizada em toda a Europa, em muitos países latinos e na Ásia também. É fato que a frequência de 700MHz tem um alcance maior, mas eficiência menor, pois a quantidade de usuários conectados numa mesma ERB (Estação Radio Base) é maior e ai, consequentemente a capacidade da rede é afetada e a velocidade também. Levando em consideração que a frequência adotada no Brasil 2600MHz (2,6 GHz), necessita de mais antenas isso força as operadoras a instalar mais antenas e investir em mais fibras para conectar cada ERB, sendo assim, você aumenta a capacidade da rede e evita congestionamentos na rede, pois a cobertura de cada ERB é menor e distribuindo melhor a quantidade de usuários por ERB.
    Analisando o nosso cenário, onde o 3G é péssimo e as operadoras não dão a mínima para melhorar suas redes de terceira geração, o 4G nessa frequência leva vantagem. E não venham dizer que isso vai prejudicar a cobertura, pois, na licitação das frequências, está bem claro no edital, as porcentagens de cada município que as operadoras terão que cobrir com 4G, que chega a 80% ou mais de cada município.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s